sábado, abril 20Conteúdo Relevante pra Você

Divulgada lista dos 11 senadores titulares da CPI da Pandemia

Reprodução – G1

Os partidos já indicaram quais serão os senadores integrantes da CPI da Pandemia, a lista aponta que o governo federal não conseguiu maioria.

Os senadores que comporão a comissão defendem que os trabalhos investigativos da CPI iniciem o mais rápido possível.

O senador do PSDB Tasso Jereissati, disse que: “Todos com quem eu conversei têm plena consciência que essa é a CPI mais importante que nós tivemos no Congresso Nacional e o Brasil está de olho nela. E tem consequências muito graves o que ela apurar e, portanto, nós temos toda a consciência que nós temos que responder ao país e não frustrar essa expectativa”.

Já Ciro Nogueira, do Progressistas, disse que espera uma CPI técnica e não política: “A população quer ser imunizada, ser tratada. E eu não vejo, nesse atual momento, o que essa CPI pode ajudar. Mas, já que ela foi instalada, que ela venha com efetividade, que a gente possa buscar resultados que saiam do campo político e da disputa política.”

Veja abaixo a lista completa dos senadores que farão parte desta CPI:

2 Governistas:

Ciro Nogueira – PP

Jorginho Melo – PL

Esses dois são próximos ao governo, mas preferiram se declaram como independentes.

Marcos Rogério – Democratas

Eduardo Girão – Podemos

Dois senadores do grupo são de oposição do presidente Jair Bolsonaro, são eles:

Humberto Costa – PT

Randolfe Rodrigues – Rede

A oposição terá apoio de 3 senadores, que também preferiram se declarar como independentes:

Tasso Jereissati – PSDB

Renan Calheiros – MDB

Otto Alencar – PSD

E dois senadores, são independentes de fato:

Eduardo Braga – MDB

Omar Aziz – PSD

Os partidos também já indicaram os 7 suplentes, O MDB que é o maior partido do Senado, deverá ocupar 1 dos principais cargos da CPI: Relator ou Presidente.

Rodrigo Pacheco, que é presidente do Senado, defente o funcionamento presencial da CPI, conforme ele a dinâmica de trabalho é de ouvir as autoridades, testemunhas e recolher dados sigilosos, mas deixou a decisão para o presidente da CPI.

A maioria dos senadores que farão parte da comissão, avaliam que parte dos trabalhos podem ser feitos de forma virtual.

O senador Otto Alencar, PSDB, falou a GloboNews, que os trabalhos devem começar de forma virtual e ser presenciais quando houver necessidade.

“O que eu defendo é que o processo possa avançar gradualmente, vá se fazendo aquilo que pode se fazer pelo método virtual e quando precisar do presencial, que se estabeleça critérios de distanciamento, isolamento físico”, defendeu Otto.

Plusber | Política

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *